C om leilão do BC, Dólar abre em queda, cotado a R$ 4,66

0
347

O dólar abriu esta terça-feira (10) em queda de mais de 1%. Os mercados estão atentos ao leilão do Banco Central e ao alívio nos mercados globais.

Por volta das 9h10 desta terça-feira (10), o dólar variava negativamente a de 1,179%, negociado a R$ 4,6699 na venda. Os investidores seguem atentos a disputa do petróleo entre Arábia Saudita e Rússia e também as atualizações sobre o coronavírus (Covid-19).

Banco Central

O Banco Central anunciou, na última segunda-feira (9), que realizaria um leilão de dólares à vista nesta terça-feira (10) referenciado à Ptax. A operação foi realizada entre 9h10 e 9h15, com a oferta de até US$ 2 bilhões.

Bruno Serra, diretor de política monetária do BC do País, indicou, na última segunda, que as intervenções cambiais do Banco Central podem durar o tempo que for necessário. Além disso, afirmou que não tem preconceito ou preferência por uso de nenhum dos instrumentos à sua disposição.

Bolsas Globais

A declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre uma possível desoneração da folha de pagamentos animou os mercados. O governo norte-americano estaria avaliando também outas medidas econômicas para diminuir os riscos trazidos pelo coronavírus.

Após registrar fortes quedas na última segunda-feira (9), as Bolsas de Valores da Ásia e da Europa operam em alta nesta terça (10). Os investidores estão animados com a possibilidade de novos estímulos por parte dos governos para enfrentar o surto de coronavírus.

Na Ásia, a Bolsa de Valores de Tóquio fechou em alta, com seu principal índice, o Nikkei, que terminou o pregão em +0,85%. Na Coreia do Sul, segundo país mais afetado pelo coronavírus, o índice Kospi fechou em alta de +0,42%. Em Hong Kong o Hang Seng fechou em alta de 1,41%, enquanto a Bolsa de Valores de Xangai encerrou a sessão com alta de 1,82%.

Por sua vez, as Bolsas de Valores europeias registravam os seguintes resultados, por volta das 8h30 (horário de Brasília):

  • Itália: FTSE MIB – +1,76%
  • Alemanha: Dax  30– +3,27%
  • Reino Unido: FTSE 100 – +3,66
  • França: CAC 40 – +3,77

Covid-19

Na última segunda-feira (9), Giuseppe Conte, primeiro-ministro da Itália, impôs restrições de circulação em todo território nacional na tentativa de conter a epidemia do coronavírus.

A Itália é hoje o país fora da Ásia com mais casos de coronavírus (Covid-19) confirmados.

Algumas das medidas tomadas pelo primeiro-ministro são:

  • A limitação de circulação apenas por motivos de trabalho ou saúde
  • Os bares e restaurantes devem estar fechados até as 18h
  • Escola e faculdades não funcionarão até a primeira semana de abril
  • Reuniões públicas estão suspensas, mesmo as de caráter religioso, até 3 de abril.
  • Suspensão de velórios.
  • Proibição de aglomerações em restaurantes.

As medidas começarão a valer nessa terça-feira (10) e quem precisar “romper” alguma, como por exemplo ir para outra cidade, deverá apresentar documentos que justifiquem a quebra das restrições.

O número de casos confirmados de coronavírus (Covid-19) no Brasil subiu para 30. Agora são 946 pessoas suspeitas de terem a doença.

Última cotação do dólar

Na última segunda-feira (9), o dólar encerrou o pregão em alta de 2%, cotado a R$ 4,72 na venda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here