Moedas FIAT e criptomoedas: Você sabe a diferença? Em paralelo entre o dinheiro que já conhecemos e o dinheiro criptografado

Moedas FIAT e Criptomoedas: Pense na moeda como um produto. A princípio, o pensamento pode parecer estranho, afinal de contas estamos acostumados com o real, a moeda brasileira. Não é para menos, desde 1930, o governo brasileiro decretou o curso forçado do real na vida dos cidadãos do Brasil, e isso significa que apenas o real pode ser usado para pagar por produtos ou serviços.

Mas pense bem, se você tivesse a oportunidade de guardar seu dinheiro, com facilidade, em euro, dólar ou mesmo em ouro, você ainda escolheria real? É certo que existem moedas melhores do que outras e, se for dada a oportunidade, as pessoas irão escolher aquela moeda mais forte, mais valorizada e com menor risco de perder seu valor ao longo do tempo. Afinal de contas, ninguém quer perder dinheiro!

Quando o Brasil deixou de ser império em 1889, e também nos Estados Unidos em 1971, ambas as suas moedas deixaram de ter lastro. Em outras palavras, o papel moeda, que representava um depósito garantido em ouro no banco, torna-se moeda  FIAT, cujo valor se funda apenas na confiança de quem a emite. No caso, o governo.

No lastro em ouro, se novo papel moeda é impresso, isso significa que mais ouro foi encontrado, e o total de moeda circulando preserva seu valor. Já sem o lastro, os governos tornam-se livres para imprimir mais dinheiro sem garantia alguma para atenderem às suas políticas monetárias.

Acontece que, criando-se mais dinheiro sem seu equivalente em riqueza total, tem-se a temida inflação. Segundo alguns economistas, esta também é uma grande causa das bolhas econômicas! Então, este é o estado das coisas neste ano de 2018, moedas frágeis e controlados por agendas políticas questionáveis.

Eis que a tecnologia traz uma alternativa: as criptomoedas. Tomando o Bitcoin como exemplo, apenas 21 milhões de unidades da moeda serão emitidas de forma constante e previsível.

Em outras palavras, a previsibilidade da criação de moedas é uma proteção contra a criação da inflação, e a impossibilidade de se produzir mais significa que sua tendência é a valorização a longo prazo, pois apenas a procura aumentará, mas não a oferta.

E é exatamente por isso que as criptomoedas surgem como uma brilhante alternativa para proteger seu dinheiro da desvalorização e de crises político-econômicas, e também é por isso que um grande número de estabelecimentos e comércios já estão aceitando estes novos métodos de pagamento.

Com todo este crescimento e aceitação, não fica difícil imaginar um mundo em que as pessoas tenham maior controle sobre seu dinheiro. Ao mesmo tempo, os governos mundiais passam a correr grandes riscos de perderem seu poder sobre o controle econômico e mesmo o risco de ficar sem saber quem, quanto dinheiro e em que moeda.

As criptomoedas não são apenas um método de investimento do momento. O que estamos presenciando é, sem dúvida, um dos maiores experimentos econômicos deste século!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here