Petrobras é a mais lucrativa do 2º tri/19; lucros sobem 73% em relação a 2º tri/18

0
337
La compagnie pétrolière brésilienne Petrobras va annuler 11 milliards de dollars de projets d'investissements en 2015 et 2016 pour tenter de réduire son endettement massif, gonflé par la chute des cours et l'effondrement de la monnaie brésilienne, le real.. /Photo prise le 30 septembre 2015/REUTERS/Ueslei Marcelino

A Petrobras (SA:PETR4) foi a empresa que obteve o maior lucro na temporada de balanço do segundo trimestre, com um lucro líquido de R$ 18,8 bilhões, de acordo com levantamento realizado pela Economatica e divulgado nesta sexta-feira.

A consultoria fez um balanço sobre a temporada de balanço do segundo trimestre de 2019, que se encerrou nesta semana. O levantamento aponta que o lucro líquido de 306 empresas brasileiras listadas na bolsa de valores somaram R$ 71,5 bilhões no período, alta de 73,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando as empresas de capital aberto acumularam lucro líquido de R$ 41,2 bilhões.

Após a Petrobras (SA:PETR4), ItauUnibanco e o Bradesco (SA:BBDC4) obtiveram os maiores ganhos do período. O Itau obteve um lucro líquido de R$ 6,8 bilhões, enquanto o Bradesco teve ganhos líquidos de R$ 6 bilhões. Os três maiores ganhos obtiveram aumento de lucratividade comparado ao mesmo período do ano passado.

Na outra ponta, a Oi (SA:OIBR4) foi a empresa com maior prejuízo nesta safra de balanços. A empresa de telecomunicação obteve um perdas líquidas de R$ 1,5 bilhão, acima do R$ 1,2 bilhão do mesmo período do ano passado.

Carrefour (SA:CRFB3) Brasil e Renova (SA:RNEW11) completaram o top 3 de empresas no negativo. A varejista saiu de um lucro líquido de R$ 389 mil no 2º trimestre de 2018 para um prejuízo de R$ 494 mil neste ano, enquanto a elétrica aprofundou as perdas, de R$ 125 mil para R$ 426 mil.

Números por setor

Entre os 26 setores analisados, apenas dois registraram prejuízo – construção e mineração -, número menor em relação ao 2º trimestre de 2018, quando sete setores ficaram no negativo.

Entretanto, 9 setores apresentaram queda da lucratividade no segundo trimestre de 2019 com relação ao mesmo período do ano passado. O setor varejista teve a maior queda nominal, de R$ 1,39 bilhão para R$ 605,6 milhões, enquanto o setor de mineração teve a maior queda percentual, que registrou prejuízo de R$ 459 milhões contra lucro de R$ 272 milhões no ano passado.

Por outro lado, Óleo & Gás foi o setor com maior crescimento nominal do lucro entre o segundo trimestre deste ano contra o do ano passado. Neste ano, os ganhos líquidos do setor foi de R$ 20,3 bilhões, contra R$ 11 bilhões do ano passado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here