Uma vida organizada em potes

1
901

Como o sistema dos potes pode salvar suas finanças

Desenvolvido por T. Harv Eker, autor do best seller “Os Segredos de Uma Mente Milionária”, o método Jars Money Management System, ou, simplesmente, Jars System, propõe organizar as finanças dividindo o orçamento mensal em “potes”. A analogia pretende mostrar que é possível destinar percentuais fixos para cada ‘setor’ da vida, como: “Necessities, Long-Term, Play, Education, Financial, Give”.

Aqui no Brasil, o método passou por adaptações (não é uma tradução) e os potes foram chamados de Gastos Fixos, Aposentadoria, Emergência, Educação, Diversão e Férias. Conheça a descrição original do método e faça uma análise sobre a forma que você pode aplicá-lo à sua vida:

Necessities: (55%) são as despesas com o aluguel da casa, alimentação, contas fixas como eletricidade, água, condomínio, mensalidade da escola dos filhos, prestação do carro;

Long-Term: (10%) são reservas e planos para situações de emergência, como um gasto médico inesperado, férias ou para uma grande aquisição;

Play: (10%) é o pote destinado para gastos displicentes, como aquele sorvete que deu vontade de tomar de repente e também os gastos com diversão: cinema, shopping, teatro, shows e etc;

Education: (10%) você pode destinar a esse pote o dinheiro reservado para o pagamento da faculdade dos filhos ou cursos, coaching, idiomas e especializações;

Financial: (10%) é a reserva para aplicar em investimentos. Este é o pote que cuida da sua velhice, do seu futuro e de sua família;

Give: (5%) é o pote que se destina à caridade, porque você pode e deve cuidar de suas finanças sem perder o humanismo e a empatia.

O método pode parecer simplista quando você o analisa a partir das muitas especificidades e problemas financeiros de cada família, ou, indivíduo. No entanto, nada impede que o método seja personalizado caso a caso. No formato original do sistema, um dos potes é destinado à caridade, por exemplo, e embora isto seja realmente algo que todos devessem fazer, não é uma regra. Simplesmente “batizar” os potes conforme sua realidade é a melhor forma de conseguir administrar esse método.

Apesar de não haver uma consideração explícita do autor quanto à flexibilidade do método, os percentuais fixos a serem destinados para cada pote também podem se ajustar às necessidades de cada pessoa. É preciso considerar os cenários que, por serem de espectro muito variado, é pacífica a inviabilidade de se estipular que, uma família de 4 pessoas, onde apenas um dos membros possui renda fixa mensal, consiga se adequar aos mesmos percentuais de uma outra em que os membros sejam, por exemplo, um jovem casal sem filhos, ambos assalariados.

Independente das peculiaridades que o sistema de potes aplicado a cada realidade pode representar, se você sentiu a necessidade de organizar suas finanças, quer começar a investir e não sabe bem por onde começar, esta é uma boa alternativa justamente porque é simples de entender e colocar em prática. A maioria das pessoas costuma alegar que é complicado dar a largada quando o ponto de partida está desorganizado, confuso, ou seja, quando você tem muitas dívidas e está com o saldo negativo.

Como resposta, o autor conta a história de Michelle Burr, que estava falida quando conheceu o método, mas mesmo assim começou a gerenciar suas finanças, dividindo US$ 1,00 em moedas para colocar em potes, conforme os percentuais do sistema. O exemplo se engrandece porque ela não parou no 1 dólar, e conseguiu transformar sua vida financeira. Que tal tentar você também?!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here